Visão Educa

Ainda vale a pena ter conta em um banco tradicional? Confira

A+ A- Baixar
PDF

Já ouviu falar no “boom” das fintechs, que unem tecnologia com serviços financeiros? Nos últimos anos, foram investidos mais de 2 bilhões de dólares nessas startups aqui no Brasil. Logo, muitas pessoas se perguntam: ainda vale a pena ter conta em um banco tradicional?

Pensando nisso, preparamos um artigo para te ajudar nesse processo decisório. Sendo assim, vamos começar com uma reflexão do educador financeiro Gustavo Cerbasi. Neste vídeo, ele questiona: vale a pena ter conta em vários bancos, sejam tradicionais ou digitais?

 

Prós e contras de ter conta em banco tradicional

A seguir, listamos os principais pontos positivos e negativos de ter uma conta corrente no banco tradicional. Contudo, é importante ressaltar que as regras variam de acordo com cada instituição.

Vantagens de manter a conta em um banco tradicional

  • Segurança de contar com instituições financeiras que estão há muitas décadas no mercado
  • Possibilidade de ser atendido presencialmente na agência, o que pode ser um diferencial para aqueles que não são tão adeptos dos canais digitais
  • Fundo Garantidor de Crédito (FGC) para ressarcir até R$ 250 mil, caso o banco entre em falência
  • Regulação do setor financeiro pelo Banco Central, além de outras entidades reguladoras

Desvantagens de ter conta em um branco tradicional

  • Em geral, as tarifas são mais elevadas: pacote mensal, saque, empréstimo, cheque especial, cartão de crédito, abertura de conta etc.
  • Maior burocracia para acessar os produtos financeiros, como na aprovação do financiamento de imóveis
  • O lucro dos bancos é destinado aos seus acionistas, ao invés de baratear as transações financeiras

Para complementar, confira uma live promovida pelo Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Assim, fica mais fácil entender os prós e contras dos bancos tradicionais e digitais, a fim de se preparar para o futuro open banking

 

8 alternativas digitais para o acesso dos serviços financeiros

Até aqui, já deu pra ter uma visão geral sobre os prós e contras dos bancos tradicionais, certo? Com isso em mente, listamos mais 8 opções relacionadas aos produtos viabilizados por canais exclusivamente digitais, como é o caso dos bancos digitais.

Afinal, a proposta aqui é mostrar alternativas para que você possa tomar decisões ainda mais assertivas. Então, continue conosco para conferir outras maneiras de acessar um amplo leque de serviços financeiros, sempre pensando na cibersegurança.

A propósito, vamos nos basear nos produtos informados pelo Estadão, que vão além das contas digitais:

 

1. Pagamento

Nesse caso, as fintechs de pagamentos facilitam os processos de compra e venda. Enquanto algumas têm condições especiais no cartão, outras ofertam “maquininhas” sem taxa de aluguel.
Exemplos: Mercado Pago, PagSeguro Uol e Moip.

 

2. Gestão financeira

Essas plataformas têm recursos que simplificam as contas: controle de despesas, gestão de orçamento e afins. Já para as empresas, ainda há ferramentas de contabilidade, folha de pagamento, controle fiscal etc.
Exemplos: Conta Azul, GuiaBolso e Contabilizei.

 

3. Empréstimo e negociação de dívidas

São sites e aplicativos que “aproximam” os tomadores de crédito e credores, inclusive no microfinanciamento. Além disso, existem serviços para agilizar a renegociação de dívidas e sair da inadimplência.
Exemplos: Trigg, Bom pra Crédito e Geru.

 

4. Crowdfunding

Plataformas de financiamento coletivo para inúmeros projetos, como ações sociais e novos empreendimentos. Dessa maneira, é possível reunir recursos de maneira conjunta para um determinado objetivo.
Exemplos: Catarse, Kickante e Vakinha.

 

5. Investimentos

As fintechs focadas em investimentos usam a inovação tecnológica para trazer resultados assertivos. Por exemplo, os algoritmos trazem propostas de aplicações voltadas para um determinado perfil.
Exemplos: Orama, Magnetis e SmarttBot.

 

6. Eficiência financeira

De modo geral, essas fintechs trabalham para apoiar os serviços de outras instituições financeiras. Aliás, a proposta é aprimorar a identificação dos usuários, proteger as transações e prevenir fraudes.
Exemplos: DattaShield, Wiseminer e Bigdata Corp.

 

7. Blockchain e Bitcoin

O Blockchain é um ambiente virtual para descentralizar as transações financeiras, via plataforma contábil. Tais transações envolvem as criptomoedas, como: Bitcoin, Ethereum e outras.
Exemplos: FoxBit, CoinBR.net e Mercado Bitcoin.

 

8. Seguros

Hoje em dia, existem muitas ferramentas digitais para comparar diferentes produtos de seguro. Com isso, você terá um panorama dos valores e da cobertura de cada apólice, com mais agilidade.
Exemplos: Bidu, Minuto Seguros e Compara Online.

 

Agora que você sabe as diferenças entre contas em bancos tradicionais e digitais, fique à vontade para escolher a sua. Da nossa parte, continuaremos trazendo mais conteúdos para você, seja no Blog da Visão Prev ou no nosso canal do YouTube:

outubro de 2021

Deixe um comentário

Ou acesse com:




AllEscort